12 de novembro de 2008

O Livro de Enoc

Quando desceram espíritus e penetraram a queda até?
Deixo o tempo a caminhar e perco todos os desejos
no branco e preto,
que me leve um anjo
ou que me deixe um demo...
enquanto os sorrisos e as cores
se escreveram no Livro de Enoc
e o amor se castigara com amor...
Descem os tempos bandeiras
e os sonhos esquecem corpo
na maré.
Perde-se entre os dedos
até o eu.

2 comentários:

Antonio disse...

Foi um verdadeiro prazer certo ter notícia deste blogue, assim como reencontrar-me com a dona e turora auroral dele. Parabéns!

Iolanda Aldrei disse...

Obrigada, mas o prazer é a tua visita. As casas tornam-se fogares com os rastos saudosos de quem a elas se achegam. É o caso... O prazer foi meu, de verdade. E um abraço.
Iolanda