30 de dezembro de 2008

Leitos de água VII


Os silêncios iludem terras frias
e guardam a forma de palavras,
chegas à janela,
teces linhas,
os dias eram tu,
sem ser na vida.
As saudades nascem quando morres,
morrem os rostos se tu nasces
e torno-me peixe na alvorada
dança de terra,
canto de água.

2 comentários:

PAUL CONSTANTINIDES disse...

linda foto Iolanda..
tenha um maravilhoso 2009.
sao meus votos para vc e os seus.

q no proximo ano continue deixando
fluir esta veia poetica cheia de imagens pela Terra Verde.

ps...tenho uma ideia de projeto pro ano q talvez te interesse..
se puder, comunique-se por meu email....pra te falar mais deste projeto...

paulphoto@live.com

abs
Paul

Iolanda Aldrei disse...

Meu querido, muitos sonhos, realidades, tudo lindo, tudo bom. Nestes dias eu me comunico. Os melhores desejos para você e para todas as boas pessoas que achegam os seus olhos e as suas sensibilidades a esta Terra Verde.
Grande abraço