31 de março de 2009

Primeira Primavera. Para Sol Milena

Chegas a este povo e a esta língua
a companhias longas, desejadas,
e um beijo de terra te recebe
com cor de prata escura em prata clara,
com a luz do teu nome, Sol Milena,
que une águas velhas, novas águas,
e te torna tecelã de mundos
a costurar em finas filigranas.
Os afectos que abrem primaveras,
nó cósmico antes de Tir-nan-Og,
na costa verde e tenra das galaicas.

2 comentários:

Vermelha Flor ::: MF ::: disse...

Chegar em algum lugar diferente como explorar uma vida nova é tão bom... Sentir o gosto doce do desconhecido com um certo amargo do medo...

Um belo poema...
Me deu inspiração para um trabalho.
hehehehehehehehehehehehehehehehehe

Sucesso pra Nós

Iolanda Aldrei disse...

Bem vinda a estes gostos entre o doce e o amargo. Entrei para gostar do nós, na casa das flores vermelhas e que bom! Um encontro afortunado... e se inspira melhor.
Muitos sorrisos.