1 de outubro de 2008

... Tinham sexo os anjos...


Para Ana

De mãos e palavras dadas, a partilhar
somos as que estamos no agora e o aqui,
as coetâneas, as lutadoras,
as filhas de Gaia e do mudar de século,
as que nascemos no transbordo
do milénio desde a cruz.
Somos as amigas que vimos dançar,
as que for velida, como nós velidas
se amigo amar,
em cores novas nas cores férteis
do ser,
nas palavras de peles e canela, de neve, de ocre
e resplendor,
as mães do dia no que tudo mudou
e tudo volta ao ciclo de retomar.
As bailadoras da noite,
as irmãs.

2 comentários:

soantes disse...

Recordo e presença. Tão forte. Tens mesmo bons poemas aqui (e sem ser aqui).

Iolanda Aldrei disse...

Presença e recordo e abraço longo. Bons poemas em Soantes... o último deu para pensar... se assim se escreve em África, vou para a Angola... Saudades. Abraço grande, meu amigo.