15 de outubro de 2008

RE-Versos II

Era tão cativo o coração do anho,
tinha a textura puríssima do pecado
e a insistência impura
encarnada nos deuses,
no sabor que deixaras
em mim pelos séculos,
a mácula intensa da luz
de alma em alma
e a força segreda
do seu silêncio frio
a invadir-me na entranha.
Lateja em mim a dor
do último sacrifício,
o teu sexo em mim
medrava e ressurgia,
o tempo em coração
alongava texturas,
uma vida intensa
que aninhava na vida.

1 comentário:

Anxo disse...

saúdos Iolana, quen ia dcir que nos iamos atopar outra vez,
bikinos

aki na anotación xa queda a direción do blog, en "quen son" está tamen o meu e-mail.