7 de novembro de 2009

Dormir... talvez sonhar

Era o tempo da vida a fugir o sonho lento
que tornava neve o corpo
e violentava os dias de ternura,
voltava a nós as asas
e queria ser um tecto,
viver, dormir... talvez sonhar.

2 comentários:

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

minha querida
sonhar
eh muito importante, nao?
descansar tbm.

seu blog como sempre
muito maravilhosamente lindo.

abs/bjs
paul

Iolanda Aldrei disse...

Ante as mortes todos somos Hamlet... sonhar sempre acontece. Chamar aos sonhos também.
Um abraço